@Verdade Mobile

Opinião - Editorial

Mais documentos estapafúrdios foram aprovados pela ditadura de voto da banca parlamentar da Frelimo. Trata-se das propostas do Plano Económico Social e do Orçamento do Estado para 2017. Os documentos, eivados de muita parra e uva nenhuma, atribuem mais fundos aos sectores repressivos do Estado, como por exemplo SISE, Ministério do Interior e Casa Militar, em detrimento dos sectores fulcrais para o bem-estar do povo moçambicano

A apreciação dos documentos começou na quarta-feira (07) e, tal como nos anteriores, o Governo da Frelimo continua a canalisar milhões de meticais para cobrir despesas supérfluas, ao invés de investir em sectores ou infra-estruturas para o desenvolvimento do país. A título de exemplo, o Governo de Filipe Nyusi está a marimbar-se do grave problema de saneamento e da falta de água por que passam milhares de moçambicanos. Todos os anos, o país tem registado inúmeros casos de cólera e outras doenças diarreicas, que matam centenas de moçambicanos.

 
Destaques - Democracia

A vida da população que perdeu as suas terras a favor das companhias que, com o beneplácito do Governo moçambicano, implementam ambiciosos projectos de produção de alimentos numa cadeia orientada para o negócio e a exportação, definha a cada dia que passa. As dificuldades a que essa gente está sujeita são as mesmas de sempre, desde a usurpação da terra com promessas de um falso futuro melhor à falta de meios de sobrevivência, sobretudo de comida, água, saneamento e serviços básicos e dignos de saúde, educação e electricidade. No distrito de Gurúè, província da Zambézia, a situação é a mesma.

 
Destaques - Nacional

Foto de Adérito CaldeiraDevido a cada vez maior falta de confiança que o Banco de Moçambique(BM) inspira não só aos depositantes moçambicanos mas principalmente à potenciais investidores da banca um representante do Banco Mundial foi indicado para se juntar a Comissão de Avaliação que liderará o processo de recapitalização/venda do Moza Banco.

 
Vida e Lazer - Pergunte a Tina

Olá, Tina, o meu nome é Cláudio e gostava de saber que consequências podem advir da prática de sexo sem protecção com alguém que sofre de corrimento vaginal.

 
Destaques - Newsflash

A Polícia da República de Moçambique (PRM) em Manica privou a liberdade de um jovem acusado de envolvimento num alegado roubo de camião na República da África do Sul, com recurso a uma arma de fogo.

 
Vida e Lazer - Motores

Onze pessoas morreram em consequência de 11 de acidentes de viação, que deixaram também 41 feridos, dos quais 10 com gravidade, na semana passada, em algumas províncias do território moçambicano.

 
Destaques - Newsflash

Uma jovem que respondia pelo nome de Ilda, de 24 anos de idade, deu um fim à própria vida, deliberadamente, na madrugada de quarta-feira (07), no bairro Luís Cabral, na capital moçambicana, por motivos não esclarecidos.

 
Destaques - Newsflash

Um homem de 23 anos de idade está a contas com a Polícia da República de Moçambique (PRM) em Tete, acusado de agredir fisicamente o seu enteado com quase dois ano de idade até à morte, no distrito de Changara.

 
Vida e Lazer - Pergunte a Tina

Boa tarde, Sra. Tina. Tenho 25 anos e a minha esposa acabou de dar à luz. Segundo o que me ensinaram não se pode fazer sexo fora do lar, porque ao pegar o bebé fica doente. Acontece que estou já a 3 meses sem fazer o sexo e ando muito stressado e não sei porquê, mais os meus colegas dizem que é por falta de sexo. O que eu faço para ultrapassar esta situação. Masturbar-me seria um caminho?

 
Destaques - Democracia

ArquivoPelo menos oito homens mascarados e munidos com armas de fogo, que se identificaram como sendo membros das Forças Governamentais, invadiram na madrugada desta quarta-feira (07) a residência do John Chekwa, jornalista e delegado da Rádio Comunitária Catandica, no distrito de Báruè, na província de Manica. Na sua ausência do profissional da comunicação social o seu filho adolescente, e um amigo deste, foi violentado.